sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Dois Monumentais Aniversários em 2009.

Ontem, doze de fevereiro, fizeram duzentos anos do nascimento de Charles Darwin. Com exceção da Folha de São Paulo que dedicou na última terça feira um editorial ao evento com consistente conteúdo, silêncio em toda a mídia.

Este ano marcará também os cento e cinqüenta nos da publicação da obra fundamental de Darwin, o livro publicado em 24 de novembro de 1859, "A Origem das Espécies" (do original, em inglês, On the Origin of Species by Means of Natural Selection, or The Preservation of Favoured Races in the Struggle for Life). Lá ele introduziu a idéia de evolução a partir de um ancestral comum, por meio de seleção natural. E vem sendo a explicação científica dominante para a diversidade de espécies na natureza durante todos estes anos.

Vale à pena a declaração de Darwin com relação as suas descobertas:
“Provavelmente todos os seres orgânicos que alguma vez viveram nesta Terra descenderam duma única forma primordial na qual a vida foi pela primeira vez instilada."
"Toda a História do Mundo, tal como a conhecemos no presente, [...] será de ora em diante reconhecida como um mero fragmento de tempo, quando comparada com as eras que passaram desde a criação da primeira criatura, o progenitor das inúmeras espécies descendentes extintas e existentes."
"Quando penso neles, não como criações especiais, mas como descendentes diretos dum punhado de seres que viveram muito antes do primeiro estrato do sistema silúrico ter sido depositado, todos os seres me parecem mais nobres."


Segue a imagem de um Ammonite Asteroceras, ser vivo que existiu entre 416 milhões e 359 milhões de anos atrás, aproximadamente. Uma existência de cerca de 57 milhões de anos. Toda a humanidade e sua organização social existem no máximo a cerca de 40 mil anos! Antes disso éramos todos antropóides!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Algumas Trapalhadas e Muita Coragem

Depois de alongadas férias, o velhinho volta ao Blog, já em pleno 2009, quase precisando postar sobre os pré-carnavalescos.
Dei uma parada para descançar da luta eleitoral, quando aqui avaliávamos se efetivamente o que vinha ao encontro de nossas imensas costas era uma marolinha sem importância ou imensas ondas de uma crise sem precedentes nas economias e nas finanças de todos os países do mundo.
Navegando pela telinha evidencia-se a dificuldade do novo presidente Norte Americano de se movimentar em direção a alternativas que minorem a crise. Pressionado pelos temores da nação mais importante na economia mundial, baixa um primeiro pacote de medidas, mas sucumbe em um dispositivo que sinaliza o velho protecionismo das agonizantes aduanas mundiais. Parece que se esqueceu da lição das redes e não considerou as mudanças nas relações espaciais que enfraquecem exatamente o conceito geopolítico das fronteiras.
E o Jornal Estado de São Paulo noticiou que a confirmação do pacote no Senado manterá a tese: “O pacote de estímulo econômico que será votado na semana que vem no Senado americano deve conter emenda protecionista exigindo que todo o "ferro, aço e produtos manufaturados" usados em projetos do pacote sejam "made in USA". A proposta, do senador democrata Byron Dorgan, prevê que os US$ 887 bilhões que o Senado deve aprovar para ressuscitar a economia americana sejam destinados exclusivamente a fornecedores americanos, segundo documento obtido pelo Estado”.
Patinando na Economia, mas com imensa coragem nas questões sociais, Barack Obama vem conclamando os americanos a participarem de um esforço de afirmação republicana da Nação. Vale a pena ver este vídeo, que apesar de editado, está traduzido e demonstra toda coragem cívica do novo Presidente.


video